Revista Pet Bunny e Cia

Primeira revista virtual especializada em coelhos do Brasil - EDIÇÃO ESPECIAL DE NATAL

Saúde e Alimentação

Bem, Tuig, como alguns já sabem, vive solto dentro de casa e não é apenas um membro da famíla... é o meu filhote!! Tratado como filho meeesmo!! (como na foto, dormindo no colo da mamãe)



Por isso, ele é mimado, cheio de vontades e dá um trabalhão para comer.
Quando chegou em casa,tinha menos de 2 meses (desaconselhável, assunto para outra ocasião), isso foi em janeiro de 2009.Tinha comprado ração da marca Purina linha natural, tinha informação que tratava-se da melhor. Ele comia, além da ração, cenoura, couve, maçã, milho, pimentão, tomate, agrião, brócolis e granola diet. Sempre lhe servia um pratinho com uma saladinha, com um pouco de tudo isso embora sempre testasse outras frutas, legumes para saber do que ele gostava. Com o tempo ele passou a selecionar: deixou de comer cenoura, que tanto adorava. Depois o milho, o agrião... hoje, me dá um trabalhão para comer. Só quer: maçã, pêssego, banana (ADORA!! Troca qualquer outro alimento por ela mas tem quer ter moderação) pimentão, tomate e ainda assim, de vez em quando!!!! Acontece que frutas são guloseimas, não pode fazer parte do seu cardápio habitual. Coelhos são herbívoros, ou seja, sua alimentação são folhas, para garantir sua saúde e bom funcionamento do intestino. E por fazer sempre a vontade dele, tivemos sérios problemas:
Tuig passou a ter estase intestinal por falta de fibras na alimentação, cuja fonte seria entre outras, as folhas que ele deixou de comer. Ficou quase oito dias sem comer, sem beber água e sem defecar. Eu lhe dava suco concentrado de mamão com abacaxi e água na seringa. Não levantava nem pra ir no seu banheirinho,fazia xixi deitado e se molhava todo, eu pensava que ele ia morrer. Ele sentia muitas dores, não conseguia nem dormir, só quando o carregava no colo como um bebê e eu passei algumas noites acordada com ele dormindo em meus braços.
Fiquei desesperada. Cheguei um dia no trabalho e não aguentei, chorei pois havia deixado ele doente sozinho em casa, afinal tinha que trabalhar; faltei à faculdade porque realmente não suportava estar na rua e ele em casa doentinho, pensava o dia todo no meu pequeno. Passei a pesquisar na internet os sintomas e busquei outro veterinário, que passou radiografias. Deu trabalho encontrar uma clínica que fizesse em coelhos, mas depois de muito procurar, muitas ligações depois, consegui. Ele estava com muitos gases no estômago e líquidos. Vou contar o desfecho dessa história mas antes, uma abordagem sobre o problema dele de forma mais detalhada:

Estase intestinal

A estase intestinal em coelho de estimação é um motivo frequente de consulta. Em geral, está relacionada a um desequilíbrio alimentar, embora também possa ser consequência indireta de má oclusão dentária. Nessa espécie, a anorexia frequentemente está associada com essa síndrome e ocasiona muito rapidamente lipidose hepática (ocorre quando o animal para de comer e o seu organismo começa a fazer uso da gordura armazenada no corpo, como fonte de energia. Ocorre a infiltração de gordura no fígado e suas células não conseguem mais realizar suas funções e pode ser fatal).A estase intestinal pode decorrer de dois distúrbios distintos: a instalação de íleo e a obstrução intestinal; os tratamentos são diferentes.

  • No caso de Tuig:
Infelizmente, ele sofre de má oclusão dentária e deixou de comer alimentos duros como a cenoura, que antes gostava muito. Esse assunto será abordado com mais detalhes em outra postagem.


Íleo gástrico

Os pelos ingeridos durante as lambeduras se acumulam exageradamente no estômago dos coelhos. Quase nunca formam bolas de pêlos, como nos carnívoros, mas se misturam ao conteúdo do estômago. A amioria dos casos de tricobezoares diagnosticados no coelho é consequência do retardo do esvaziamento gástríco, em função da diminuição da motilidade estomacal, devido à dieta pobre em fibras e em verduras frescas. O conteúdo do estômago se desidrata, formando um bloqueio. Falta de exercício, obesidade, estresse e impossibilidade do coelho vomitar são fatores predisponentes.

Sintomas

A doença começa com diminuição do apetite, podendo evoluir para anorexia. Polidipsia compensatória (excesso de sede) é frequente, podendo evoluir para oligodipsia (falta de sede) nos casos graves. As fezes são muito pequenas e secas, podendo apresentar fases de amolecimento. Pode-se notar diminuição e, às vezes, interrupção da defecação. O estado geral pouco se altera.
 




  • No caso de Tuig:


    Observei alteração na sua rotina alimentar: diminuiu o apetite até que parou de comer. As fezes miudas e ressecadas e em menor quantidade. Sentia muita sede, só bebia água, nada sólido. Passou a ficar muito quieto no canto o tempo todo (como na foto, foi em um desses episódios). E ele odeia se molhar, mas ficava tão prostrado no canto no chão que urinava no mesmo lugar onde estava, ficando todo molhado, sinal pra mim, que a coisa era grave. Passou a deitar em lugares que nunca deitava, como no sofá (foto).

    Aliás, um fato que sempre me surpreendeu, é que toda vez que ele fica doentinho, ele se deita exatamente no mesmo lugar, em baixo da janela do meu quarto, encostado à cortina que fica de frente pra minha cama. Todas as vezes foram assim, como uma forma de me dizer que algo não está bem. Eu acordava e era para o primeiro ponto no quarto que olhava e o coração ficava apertado quando ele estava lá.
     


    Diagnóstico

    Se baseia nos sintomas, no histórico alimentar, na palpação de um estômago firme e não comprimível e no exame radiográfico. Esse último revela um ligeiro aumento de volume do estômago, frequentemente com um halo de ar ao redor de um grande conteúdo heterogêneo. Em geral, o intestino se encontra repleto de gases.


    • No caso de Tuig:
    Com as radiografias em mãos, foi diagnosticado o citado problema.






    Tratamento

    Normalmente, o tratamento com medicamentos é suficiente. Os coelhos não são bons candidatos à cirurgia digestiva; a gatrotomia geralmente resulta na morte do animal. A conduta recomendada é:

    Fornecer suco de abacaxi (10ml Via oral durante 3 a 4 dias): em geral, os coelhos são muito gulosos e o suco contribui para a hidratação da ingesta e as enzimas nele contidas podem auxiliar na digestão;
    Restabelecer a motilidade gástrica, tratando o espasmo doloroso (250mg paracetamol (analgésico e espasmódico) via intramuscular).

     

    • No caso de Tuig:

    Quero antes, mais uma vez, salientar que não sou veterinária e os medicamentos aqui citados não estão sendo indicados para os donos de coelhos se aventurarem à substituir uma consulta ao profissional competente e especialista em animais silvestres. Estou apenas repassando minha experiência com meu coelho, como uma forma de referência aos interessados.  Como já é sabido, o blog é aberto à contestações (com embasamento), críticas e elogios.


    Mas continuando, no caso do meu pequeno, sua médica me fez as seguintes orientações:

     
    - administração de ibuprofeno para dor
    - suco de abacaxi
    - 1 colher de chá de azeite de oliva
    - massagens abdominais e compressas de água quente
    - mamão
    - calda de ameixa
    - alteração da alimentação:
       - mais folhas (escuras)
       - feno (capim seco)
       - diminuição drástica da ingestão de frutas
       - alteração da ração (Funny Bunny por minha conta)
       - passeios em áreas verdes (exercícos físicos)

       - 1 seringa de 1 ml (cheia) de Malt Paste (pasta para bola de pelo em gatos)


    • Como fiz tudo isso:

    Chegando em casa, muito preocupada com o pequeno hà oito dias sem comer (todo esse tempo foi procurando desesperadamente um médico que fizesse a radiografia), a primeira coisa foi:
    - administrar o analgésico pois ele sentia dor.
    Depois:
    - uma seringa de 1 ml cheia de azeite doce (via oral)
    Depois:
    compressa de água quente:
    - 1 toalhinha
    - papel alumínio

    Após esquentar a água, embebi a toalinha dele e tirando o excesso de água, enrolei no papel alumínio para manter a temperatura. Antes, testei em meu rosto para não queimá-lo. Carreguei o pequeno no colo como um bebê e para acalmá-lo passei a ninar como o tivesse pondo pra dormir, aliás, ele sempre dorme quando eu faço isso. De fato, dava pra sentir a barriguinha dura, uma bola lateral, parecia que ia estourar. Apliquei e ao mesmo tempo, massageava com os dedos por baixo da compressa que ao esfriar, passei a massagear vigorosamente mas com cuidado para não machucá-lo, fazendo movimentos circulares e pra cima e pra baixo de forma alternada:
    Alguns minutos depois, ele já queria sair do meu colo, foi pro chão e saiu correndo, foi se lamber, andou um pouco pela casa, enfim, reagiu.

    Troquei o tapete absorvente do banheirinho dele para monitorar suas eliminações.

    Como ainda não comia, bati mamão no liquidificador e lhe dei na seringa forçado. Coelhos não podem ficar tanto tempo sem comer. Mas tinha atenção quanto à quantidade. afinal seu estômago estava "empazinado" com gases, liquidos e pêlo!!

    Acordava de madrugada várias vezes para observar ele e o banheirinho e ficava feliz quando via as bolinhas, ainda que miudas, mas estava fazendo efeito e já comia um pouco.
    No dia seguinte, havia urinado e tinha mais bolinhas, aliás, nunca fiquei tão feliz em ver as bolinhas espalhadas pela cozinha e algumas ligadas, como colar de pérolas (os pelos estavam sendo eliminados). Ele tinha fome mas não tinha apetite pois ao lhe oferecer algo, vinha correndo e começava a comer com voracidade mas de repente parava e voltava pra sala comendo muito pouco.


    • Hoje

    Bem, Tuig raramente apresenta esses sintomas, embora tenha o problema. Acontece que eu fico muuuito atenta a qualquer alteração no comportamento dele. O primeiro sinal são as bolinhas: diminuem de tamanho. Qaundo isso ocorre, logo lhe dou Malt Paste (foto ao lado) e no dia seguinte, está tudo normal Essa não deixo faltar em casa pois o efeito é rápido. Além diso, como ele é muito peludo, escovo seus pelos de vez em quando durante a semana para diminuir a ingestão. Claro que o que escrevi aqui, foi de forma resumida pois tive alguns episódios desses com ele até eu me "especializar"  nesse problema cuja alimentação também assume papel importantíssimo. Mais informações é só deixar um comentário ou enviar um e-mail para geisaetuig@gmail.com ou acessar nosso suporte on-line:http://petbunnyecia.wix.com/banhoetosa#!Suporte/c1r3y
    que eu terei o prazer em responder.

    Mais sobre alimentação, visite nosso site:
    http://petbunnyecia.com.br/alimentacao_15.html

    Fonte: http://books.google.com.br/books?id=rvhZpMysJzYC&pg=PA125&lpg=PA125&dq=estase+intestinal+coelhos&source=bl&ots=yub8lqoORr&sig=lz7KowO5tvwANsp39nVPUuiOi28&hl=pt-BR&ei=5WIyTL20Hs2PuAe0q_HJDg&sa=X&oi=book_result&ct=result&resnum=1&ved=0CBUQ6AEwAA#v=onepage&q=estase%20intestinal%20coelhos&f=false